O site "CAMINHOS E SONHOS" registra uma coletânea de conteúdos diversificados. O autor, "Rodolfo Antonio de Gaspari-Prof.Roangas" mostra dentro do espaço das letras muita sensibilidade poética de um grande sonhador.
Caminhos  E  Sonhos
Pincelamos as letras para que as palavras sejam transformadas na essência da sua criatividade...
CapaCapa
Meu DiárioMeu Diário
TextosTextos
ÁudiosÁudios
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livro de VisitasLivro de Visitas
ContatoContato
LinksLinks
Meu Diário
03/11/2009 22h07
SEM MEDIR ESFORÇOS


  PENSAMENTO  DO  DIA

ACEITAR A SI MESMO DEVE SER O PRIMEIRO PASSO EM DIREÇÃO À TRANSFORMAÇÃO.                                     

        
SEM MEDIR   ESFORÇOS

                   


Certo dia eu perguntei ao meu amigo LALAU: - Por que você está tão eufórico ou interessado nessa história de ANTONY e JULIE? (uma curiosidade ainda estava afoita dentro de mim, “o porquê” dessa grande importância sobre os referidos personagens. Embora soubesse que LALAU é um grande sonhador... escritor nem tanto!!! , mas por demais criativo, emanado, sensível, sonhador!!! Ele sorrindo, foi logo, numa forma prolixa me respondendo:

                                      


Nada pode passar por despercebido, quando tudo é belo. Da essência pura, qualificada, é que sai o perfume de uma flor como o mesmo AROMA DO SENTIMENTO, expedido puramente do coração. Logo, personagens de uma história são como raízes que seguram no solo, as mais tenras como gigantescas árvores que depois das flores vêm os saborosos frutos. Quando deparamos com seres felizes, “pés no chão”, tentamos adequá-los nas linhas, pauta por pauta, no amontoo de palavras, capítulos como atos de um palco onde as cortinas sempre se abrem para que a felicidade seja chegada e constante. Portanto, somos os assistentes das grandes peças teatrais do humano, através de relatos reais, que nos cercam durante o nosso cotidiano. 

 

SEM MEDIR ESFORÇOS, tanto quanto, sem avaliar os quilômetros que distanciavam pessoalmente ANTONY E JULIE, ambos estavam sempre juntos. JULIE distante do lado material ou excessivos gastos viajava sempre ou constantemente para AREIAS DO OESTE (terra de ANTONY). Ir ao encontro de ANTONY representava sistematicamente um misto de descobertas como o brotar de um lindo sentimento voltado a um romance. A reserva de doação de ambos, numa consciente posição daquilo que sempre tentaram apurar para um bem-querer, viver e amar fazia o vínculo perfeito de sérias propostas, voltadas à esperança de um concreto e até eficiente amor. No diálogo, considerado como base para a proximidade de ambos, nos relatos do ontem do sofrimento, mesmo ainda sabendo que o amor existia. Paulatinamente estava sendo acrescido na pureza o mais belo e essencial: A FIRMEZA RECÍPROCA! Muito comum dos olhos lindos de JULIE, lágrimas serem desprendidas, quando ANTONY dissertando o que vinha de mais belo despertado do seu interior, fazia-a emocionar. Tudo... tudo... muito voltado à atenção e docilidade de JULIE e a grande surpresa de um encontro nunca imaginado. A energia como reflexo da sensibilidade, era levada às alturas de um ápice muito a dois, almejado por longos anos decorridos do passado. Na demonstração da atenção a dois ou “carisma”, um envolvimento de pontos em comum estavam alicerçando calmamente aquilo que ambos tinham muito a oferecer. ANTONY viajava como em sonhos, recebia JULIE de braços abertos com o coração irradiando alegria... emoção... PAZ... reconhecendo o enorme sacrifício adicionado à bondade, querendo entregar a sua alma nas profundezas do coração de JULIE. Tudo muito envolto num concreto verdadeiro, emocionante e efetivo sentimento, primórdios de um grande amor.



CONTO DESCRITIVO
Fonte: PASSARELA DE CONTOS
Autor do texto e da ilustração-Foto-(NERVURAS SALIENTES):
Rodolfo Antonio de Gaspari -Prof.Roangas-

                                         
 


Publicado por roangas em 03/11/2009 às 22h07
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
02/11/2009 20h23
UM FINAL DE SEMANA
 
PENSAMENTO DO DIA

O SORRISO É UMA EXPRESSÃO DE CONTENTAMENTO, DE MUITA RIQUEZA INTERIOR.
SORRIA SEMPRE!

U M  F I N A L  D E  S E M A NA
                   
EU ESTAVA COM UM DESEJO GRANDE PARA QUE LALAU CHEGASSE NAQUELE DIA. UMA ANSIEDADE TOMAVA CONTA DE MIM... PORÉM, LALAU NÃO TARDOU EM CHEGAR E FOI LOGO FALANDO:
 

   ANTONY e JULIE comunicando-se durante todos os dias, quase que doentiamente, por prolongadas horas, “via fone’, continuavam traçando os seus perfis personificados, procurando edificar UM RICO SENTIMENTO.
   No final de semana, seguido do anterior, onde tudo havia começado, JULY voltou para “AREIA DO OESTE”. Era um sábado, tudo estava muito bonito; o dia parecia diferente dos demais, com se antecedesse um grande acontecimento festivo ou representativo por demais.
   ANTONY preparava para receber JULIE junto à sua simplicidade peculiar, porém, verdadeira, sincera, transparente.
   À noitinha chegou e mais uma vez os dois estavam juntos. Completavam um par distante de uma perfeição, mas com semblantes felizes, surpresos... pairava alegria, avaliando o curto espaço de tempo em que estavam juntos. Tudo era ou estava muito lindo!
   Bem mais à noite, mesmo ela, não sendo percebida com seu natural negrume, porque tudo resplandecia com muita luz, resolveram fazer“um programa”, talvez objetivando estar mais juntinhos.
    Para deparar com a pura realidade daquele encontro, pelas vinte e três horas viajaram de “AREIAS DO OESTE” de volta para “SÃO SEBASTIAN”. Regressaram para a mesma casa noturna em que uma semana anterior, tinham se conhecido.
    Muito a dois divertiram-se durante toda a madrugada fazendo registrar entre mãos dadas, carinhos, afagos... que ali estavam reconfirmando “um encontro” ou um grande sonho!
    Notava-se o vermelho natural da aurora, até os passarinhos estavam saindo dos seus ninhos, famintos pelas primeiras sementinhas; luzes das avenidas de “SÃO SEBASTIAN” ainda não estavam apagadas... o sol estava para apontar gigantescamente no vermelho e em direção leste. Voltaram para “AREIAS DO OESTE” terminando o final daquela semana... juntinhos!...

                                                       


 
NÃO SEI O QUE PODE TER ACONTECIDO... LALAU... DE REPENTE DESAPARECEU DEIXANDO-ME REGISTRADAS SOMENTE ESSAS LINHAS! LALAU É UM SER POR DEMAIS OCUPADO!!!...

 
CONTO DESCRITIVO
FONTE: PASSARELA DE CONTOS

Autor do texto e da ilustração-Foto-(RETRETA):
Rodolfo Antonio de Gaspari - Prof. Roangas

 

 


Publicado por roangas em 02/11/2009 às 20h23
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
01/11/2009 07h00
VOZES ENTRE DOIS PONTOS
  PENSAMENTO DO DIA
CONTO OS MINUTOS DURANTE AS HORAS DA SUA AUSÊNCIA. DEPOIS PARO OS MINUTOS DAS HORAS QUANDO ESTOU NA SUA PRESENÇA.
 
VOZES ENTRE DOIS   PONTOS
 

Meramente impossível poder estar com LALAU por vinte e quatro horas. Se eu pudesse não mediria esforços. O meu desejo, tanto quanto, o dele também, é ficar junto até quando ainda, ELE possa continuar com suas histórias, contos, comentários... Gosto muito de LALAU! Como se eu tivesse medo de perder todos os passos e detalhes que vem me contando. Continuo atentamente ouvindo e escrevendo tudo... tudo... que LALAU tem passado detalhadamente a mim. Ele fala e eu relato os fatos:

            

A travessia com que o pensamento emite na memória, como forma telepática, responde aos impulsos do próprio comportamento. Como se fosse uma linha esticada belamente, inteligentemente, sabiamente, seriamente para o INFINMITO DO HORIZOZNTE! A distância sempre será diminuta àqueles que almejam meios, mesmo pela dificuldade que envolve os sediosos por viver. Perguntamos um pouco mais além: - e aqueles que começam SENTIR O SABOR DO AMOR? – muito mais afoito buscar caminhos para um aconchego constante. Logo, DOIS PONTOS DISTINTOS, como um segmento de reta estava traçado ente ANTONY E JULIE! O primeiro em direção OESTE, o segundo também num ponto um tanto distante. Essa era a maior dificuldade: DOÍDA DISTÂNCIA! Para que isso fosse ou pudesse com vagar tornar-se mais próximo, o único meio seriam VOZES RECÍPROCAS trocadas via TELEFONE. Foi assim que teve desde o começo: comunicações diárias por varias vezes via fone. Ouvir a voz um do outro, representava firmeza do relacionamento como se um não tivesse esquecido do outro. ANTONY, pela sua própria maneira de ser falante, expositivo, prolixo, narrava fatos e acontecimentos, outras vezes colocava em evidência o sentimento voltado imensamente por JULIE. O meio de comunicação telefônico teve uma significativa e representativa participação ou prioridade na historia entre esses dois seres amantes. Por todos os fatos narrados, conversas estabelecidas por horas afinco, eles permaneciam com os fones aos ouvidos, esquecendo dos “impulsos” gastos... monetários posteriores. UMA ÂNSIA DE ESTAR JUNTOS... de uma ou outra forma... recursos de imediato para um mediato sentimento que brotava dia a dia cada vez mais. Tudo vinha cegamente acontecendo como se nunca tivesse existido nos anais da historia da humanidade; um grande relacionamento, dosado de esperança e muitas descobertas mutuas. Dois personagens surgidos pelo tempo com um tempo próprio de um encontro tão necessário, vencendo barreiras anteriores, procurando mutuamente curar feridas doentias do sentimento de cada um dos dois. Ouvir atentamente as narrações era uma comparação que fazia crescer mais a esperança; uma necessidade de doar-se um ao outro, num momento chegado; adquirir o perdido pelo dom de VIVER E BEM AMAR! Um ”alô” ouvido, somente teria valor, sabor, contentamento, alegria, prazer... se de um lado da linha telefônica fosse JULIE e do outro ANTONY. VOZES ENTRE DOISPONTOS representavam um pacto chegado fortemente nos corações daqueles que haviam se encontrado num tempo contemporâneo vivenciado pela felicidade! 



                
Que pena! LALAU ficou por aqui... prometendo      voltar outras e outras vezes com suas narrações.  



CONTO DESCRITIVO
Documento: PASSARELA DE CONTOS
Autor do conto e da ilustração-Foto-(REPOUSANDO À SUA ESPERA):
Rodolfo Antonio de  Gaspari -Prof. Roangas-


                                                  


Publicado por roangas em 01/11/2009 às 07h00
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
31/10/2009 01h00
PRIMEIRA VISITA

PENSAMENTO DO DIA
 
 
CONFIE ANTES DE TUDO EM VOCÊ. OS ABALOS PODEM DERRUBAR A ÁRVORE PELAS RAÍZES E OS CASTELOS PELOS AICERCES.
 
 
 
 PRIMEIRA VISITA 
                   
   MAIS UM ENCONTRO COM LALAU!!!



Estou diante, mais uma vez do meu amigo LALAU. Hoje ele me surpreendeu. Chegou com características de um POETA. Vejam: - Escrever sentimento é muito difícil, raro, porque estagiar aquilo que os sonhos têm como fantasia, nem sempre conduz o amante à sua própria realidade. Deparar com uma maravilhosa e real situação, exemplificar aqueles que no desânimo eliminam suas esperanças é também uma realidade. LALAU muito empolgado relatou:

                             

     ANTONY permaneceu na grande cidade de São Sebastian, localidade onde na noite anterior, havia conhecido oficialmente JULY. Ele estava hospedado na residência de um grande amigo. JULY havia voltado para a sua cidade, TAPETÓPOLIS. Com os números dos telefones reciprocamente e gentilmente trocados, ambos depositaram na esperança, um próximo contato ser repetido. Como se o destino tivesse o seu momento de agir para os dois, tudo estava esclarecido: A MUTUALIDADE DE UMA GRANDE EMPATIA. O diálogo maduro, consciente, transparência de “almas afins”, à vista de que ambos desejavam para si resumido em: UMA CONDUTA SINCERA DO SENTIMENTO E DEDICAÇÃO A DOIS. Era domingo e logo no período da tarde, JULY entrou em contato com ANTONY, ele ainda se encontrava na cidade de São Sebastian. Prolongados assuntos foram trocados, principalmente muita identificação mútua, uma continuidade sadia, verdadeira dos assuntos em pauta, sérios, formulados durante toda madrugada anterior, no espaço de diversão onde os dois haviam se deparado, frente a frente, pela primeira vez. ANTONY havia programado regressar para a sua cidade, AREIAS DO OESTE, naquela mesma tarde de domingo, ficando combinado à ida de JULY, naquela noite para a cidade em que ANTONY residia. Para isso, um roteiro rodoviário ficou previamente estabelecido, pois, a tapetolense desconhecia o interior de AREIAS DO OESTE, distante 90 km de TAPETÓPOLIS. Se laços são estabelecidos, acreditava-se que entre os dois, primórdios de seriedade já era um prenúncio da certeza daquilo que ambos almejavam. (bem analítico esse meu amigo LALAU). Mas continuava relatando: - E, ANTONY não deu crédito no combinado (a viagem de JULY até a sua cidade), talvez desacreditado, porque na maioria dos seres, a pouca responsabilidade é uma constante. Tudo foi uma grande e laboriosa surpresa, quando pelas vinte horas, daquele domingo, no Terminal Rodoviário de Areias do Oeste, como ponto de referência ANTONY e JULY, se depararam pela segunda vez. Pura emoção! Servindo de guia, ANTONY, dirigiu-se para sua residência oficial, num dos bairros e lá, conciliaram entendimento, acertos... o estender de uma sábia proposta estabelecida na noite anterior. Houve prolongado diálogo, ele maduro consciente, cada um passando ao outro as suas experiências anteriores com muita transparência. Estava aberta a primeira página, séria, onde a simpatia, credibilidade, reciprocidade foram os primeiros registros positivos voltados à esperança. Tudo deixado pelo “carisma” com que cada um dos dois transparecia. O sentimento parecia prosperar ou acontecer com verdadeira seriedade. Ficou provado que ANTONY versos JULY concretizavam um par perfeito, ambos esperançosos por dias melhores. Numa segunda madrugada estava nascendo um “grande elo”. July decidiu voltar para TAPETÓPOLIS. A despedida carinhosa dos dois revelava uma linda essência de afeto e respeito. Claramente dava para se perceber que um “grande romance” estava tendo o seu início! EU E LALAU PERMANECÍAMOS MUITO EMOCIONADOS...

                                                
 

     No aguardo constante de LALAU, para que voltasse logo..., pois, queria saber mais e mais... Com vagar estava brotando uma estória que ficaria humanamente na história onde somente ela é consumada quando o livro da lembrança registra a veracidade dos acontecimentos.  

 

CONTO DESCRITIVO
OBRA: PASSARELA DE CONTO
Autor do texto e da ilustração-Fotos-(OLHOS):
Rodolfo Antonio de Gaspari -Prof. Roangas- 
 
 


Publicado por roangas em 31/10/2009 às 01h00
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.
 
30/10/2009 08h30
AREIAS DO OESTE
 

PENSAMENTO DO DIA:

TRISTE NÃO É MUDAR DE IDÉIA. TRISTE É NÃO TER IDÉIA PARA MUDAR.

                                                                                              
                                                   

                                             
 AREIAS  DO  OESTE
                      

Mais uma vez estou diante do meu amigo incógnita, chamado LALAU. Cada vez mais ele me traz surpresas, acontecimentos, narrações... Ele é uma pessoa extraordinária, colhe lá fora, guarda, e depois relata. Continuo sendo o seu redator. Sempre me intimando para que eu redija suas histórias. Atentamente ouço, procurando descrever na íntegra o que LALAU me conta. Disse a mim: - Ainda tenho muito do mesmo casal, os personagens ANTONY E JULIE. ESCREVA AI:

                                 
                                     

AREIA, um minério rico na formação natural do solo. Recorda a leveza do vento, junto dele, a poeira leva fracas folhas secas, por caminhos diversos.
 
AREIA lembra nuvens, levadas pelo roda-moinho do vento, no contraste avermelhado do azul celestial.
 
AREIA, dunas naturais como acúmulos arenosos, tanto quanto, desertos na busca dos seus oásis. Porque em tudo há uma existência, uma vida!

AREIA, suporte seguro, praiano, o receber do arrastar de ondas da imensidão do mar.
AREIA... AREIA... como inspiração para qualquer poeta... versos aquém... de todas as estrofes da vida.


Nada daquilo que queremos passar de importante, AREIA está à altura da sua importância de existência.


ropositadamente nada disso influi naquilo que LALAU quis me passar e sim, a querida "AREIAS DO OESTE", cidade natal de ANTONY (sei lá... um certo personagem (s) que LALAU vem me narrando)...

Pelos pontos cardeais, em direção oeste de São Paulo, vai localizar "AREIAS DO OESTE", dai o seu nome de origem, devido a sua posição junto aos pontos cardeais.

Através de análises dos antigos geólogos, as AREIAS dessa cidade são diferentes das outras tantas existentes, pela formação geográfica, logo as dessa região do estado são mais especiais como complementação de misturas entre outros minerais que servem na área de engenharia.

Muito comum em "AREIAS DO OESTE", cavas de saibro, uma areia consistente, popular, comum... no assentamento de paredes de casas, edifícios, muralhas. Pelo acúmulo constante e natural de diversos tipos de AREIAS e sua importante utilidade, elas são vendidas para outras localidades, entre todos os estados do Brasil. Existem refinarias que através de modernos processos químicos e industriais preparam essas AREIAS para o seu múltiplo uso nas grandes engenharias civis.

Portanto, a grande economia de "AREIAS DO OESTE" está sem dúvida, voltada às grandes RESERVAS DE AREIAS.

Há uma grande influência na área agrícola, pois, pelo solo arenoso há grandes fazendas, sítios e chácaras... formadas por alqueires de terras com pomares de laranjas e plantio de cana de açúcar, produtos que também contribuem para uma forte arrecadação do ICM.


No contraste natural do solo seco e arenoso, não se tem grande área verde ou florestal. São nativos os pequenos arbustos como cipós, árvores de angicos e poucos gramados.

 
Devido ao clima, muito quente, um pequeno rio chamado RIBEIRÃO DO OESTE é transformado numa atração turística da cidade, atraindo visitantes de diversas localidades. O rio com o seu curso natural completa um VALE, mesmo acima do nível do mar, de uma simples, mas sutil beleza natural.

Como lazer, a cidade é bem fraca, poucas opções esporádicos bailes, festas populares do santo padroeiro, São José, o qual simboliza a família, o árduo trabalho de um povo honesto e acolhedor, festas juninas com os tradicionais forrós, festa do dia da cidade, festas do peão... etc. Tudo muito a caráter de um antro interiorano. A cidade geograficamente no estado está localizada numa encruzilhada dando acesso aos demais pontos nas quatro direções: norte, sul, leste e oeste.

Pelo desenvolvimento tecnológico os meios de comunicação e transporte são na maneira do possível bem assistido, atendendo inclusive as necessidades comerciais dos grandes depósitos de areias que a cidade tem como economia e emprego.

Geólogo e demais especialistas técnicos que estiveram na cidade, fazendo pesquisas, revelaram que há possibilidade de AREIAS DO OESTE ser extinta em dias ou gerações futuras, perdendo o seu espaço de área ou perímetro, devido à depredação do meio ambiente, pois, escavações de areias têm causado grandes erosões e rachaduras do solo.

Exatamente ai, em AREIAS DO OESTE, nasceu ANTONY (o amigo ou personagem...??? de LALAU...) de tradicional, mas humilde família areense. Ele teve a sua formação nos cursos: primário, secundário, médio e depois fora da cidade o seu curso de nível acadêmico.

No silêncio da pequenina AREIAS DO OESTE, ANTONY... um sonhador procura se localizar, levar sua vida, o seu “eu” na reserva, preservando e amando a cidade, suas origens que lhe serviu de berço.    

                                 
                                             



CONTO DESCRITIVO
PASSARELA DE CONTOS
Autor do texto e da ilustração-Foto-(BABADO MIMOSO):
Rodolfo Antonio de  Gaspari - prof. Roangas-

 

 


Publicado por roangas em 30/10/2009 às 08h30
Copyright © 2009. Todos os direitos reservados.
Você não pode copiar, exibir, distribuir, executar, criar obras derivadas nem fazer uso comercial desta obra sem a devida permissão do autor.



Página 5 de 6 1 2 3 4 5 6 [«anterior] [próxima»]

Seremos únicos em tudo que criamos... da criatividade vem a inspiração dos sonhos e até das próprias fantasias...



TEXTOS EM DESTAQUE:

Conto:

O Homem das Estrelas

Poesia:

Amizade

Crônica:

Quando se Perde a Energia

Mensagem:

Os Anjos

Carta:

O Belo Existente em Você

Poetrix:

Abraço